Páginas

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Medo...

Tenho medo de me atirar em seus braços e não sentir que somos um.
Tenho medo de seguir seu caminho, e quando estiver na frente de seus olhos você dizer que me esqueceu.
tenho medo de segurar sua mão e não alcançar o maravilhoso ser que se esconde atrás dessa capa.
Tenho medo de tocar em seus lábios, e ouvir de sua boca uma palavra de despedida.
Tenho medo de olhar para trás te procurando e não encontrar seus passos vindo pra mim.
Tenho medo de acreditar no fascínio do seu amor e me perder no labirinto que se esconde, sem nunca ter esperança de lhe encontrar.
Tenho medo de me entregar as ilusões, procurar seu rumo incerto, esquecer meus preconceitos e viver o nosso espaço livremente, esquecendo a realidade dos meus sentidos.
Tenho medo de viver essa poesia que nos invade o coração, e ao final de nossa história, restar apenas o capítulo final.
Não sei conter esse medo, ou não quero, porque tenho medo de tentar e não chegar em cima sem sofrer.
Tenho medo de tudo que me leva a você.
Queria enfrentar o mundo e lhe procurar, mas eu paro e penso se irei te encontrar.
Tenho medo de seguir esse caminho, e mais tarde descobrir a certeza de que não terei você.
Tenho medo de apenas viver o momento, e depois saber que você não existe, que eu apena so criei em meu pensamento.
Tenho medo até mesmo de pensar em ter você...

Como diria a música: "Se você soubesse o quanto é intenso no meu peito
O amor que tenho por você e o que guardo aqui dentro
Se você voltasse sempre, se houvesse intimidade
Certamente deixaria de implorar por outro amor
Na distância é tão difícil ser amigo de alguém
Olhe para mim,preciso lhe dizer
Que eu espero por você
E não me canso de esperar!"

Sei que isso tudo está num ar de paixão, amor, romantismo, ou sei lá que nome se dá à isso. Pode significar muito pra muita gente, mas pra mim, resta apenas as dúvidas e os pontos de interrogações, e ao outro, bom, acho que ao outro isso nunca importou de verdade... Infelizmente!
As vezes, as histórias tomam outros rumos, desconhecidos, que não nos permitem viver da maneira que tanto planejamos. Me disseram pra dar tempo ao tempo (né Thé, rs), mas como diz outra música: Já dei TEMPO AO TEMPO, mas o tempo não me ajuda... E eu não me conheço tão bem, pra saber se serei capaz de esperar até que essa história tenha um final feliz... Tenho que dar um rumo na minha vida, seguir meu cérebro, e dar outros caminhos ao meu coração... Com ou sem alguém.

Um comentário:

  1. adoreeei (: "... Tenho medo de olhar para trás te procurando e não encontrar seus passos vindo pra mim. ... "
    beeijos :*

    ResponderExcluir

Comenta aê?