Páginas

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Medo...

Tenho medo de me atirar em seus braços e não sentir que somos um.
Tenho medo de seguir seu caminho, e quando estiver na frente de seus olhos você dizer que me esqueceu.
tenho medo de segurar sua mão e não alcançar o maravilhoso ser que se esconde atrás dessa capa.
Tenho medo de tocar em seus lábios, e ouvir de sua boca uma palavra de despedida.
Tenho medo de olhar para trás te procurando e não encontrar seus passos vindo pra mim.
Tenho medo de acreditar no fascínio do seu amor e me perder no labirinto que se esconde, sem nunca ter esperança de lhe encontrar.
Tenho medo de me entregar as ilusões, procurar seu rumo incerto, esquecer meus preconceitos e viver o nosso espaço livremente, esquecendo a realidade dos meus sentidos.
Tenho medo de viver essa poesia que nos invade o coração, e ao final de nossa história, restar apenas o capítulo final.
Não sei conter esse medo, ou não quero, porque tenho medo de tentar e não chegar em cima sem sofrer.
Tenho medo de tudo que me leva a você.
Queria enfrentar o mundo e lhe procurar, mas eu paro e penso se irei te encontrar.
Tenho medo de seguir esse caminho, e mais tarde descobrir a certeza de que não terei você.
Tenho medo de apenas viver o momento, e depois saber que você não existe, que eu apena so criei em meu pensamento.
Tenho medo até mesmo de pensar em ter você...

Como diria a música: "Se você soubesse o quanto é intenso no meu peito
O amor que tenho por você e o que guardo aqui dentro
Se você voltasse sempre, se houvesse intimidade
Certamente deixaria de implorar por outro amor
Na distância é tão difícil ser amigo de alguém
Olhe para mim,preciso lhe dizer
Que eu espero por você
E não me canso de esperar!"

Sei que isso tudo está num ar de paixão, amor, romantismo, ou sei lá que nome se dá à isso. Pode significar muito pra muita gente, mas pra mim, resta apenas as dúvidas e os pontos de interrogações, e ao outro, bom, acho que ao outro isso nunca importou de verdade... Infelizmente!
As vezes, as histórias tomam outros rumos, desconhecidos, que não nos permitem viver da maneira que tanto planejamos. Me disseram pra dar tempo ao tempo (né Thé, rs), mas como diz outra música: Já dei TEMPO AO TEMPO, mas o tempo não me ajuda... E eu não me conheço tão bem, pra saber se serei capaz de esperar até que essa história tenha um final feliz... Tenho que dar um rumo na minha vida, seguir meu cérebro, e dar outros caminhos ao meu coração... Com ou sem alguém.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Me surpreendem...

Gostaria de compartilhar com vocês, a poesia que ganhei de um rapaz muito querido! Muito obrigada Júnior, de coração, ficou muito linda *-*

Como pode existir alguém
Que pessoalmente nem conheço
Fazer-me sentir tão bem
De uma forma que desconheço

Como pode existir algo
Tão belo quanto seu sorriso
Faz-me viajar cada vez mais nele
Faz-me ver que é tudo o que preciso

Como pode existir tanta magia
Em uma moça tão legal
Coberta de fantasia
Já considero muito especial

Como pode existir inspiração
Para criar nova poesia
Que é minha paixão
Que é minha alegria

Como pode existir diversão
Em conversa virtual
Que virou minha obsessão
Que agora é essencial

Como pode existir
Só Deus poderá explicar
Mas eu não quero explicação
Pois dela estou a gostar

E quero muito esse sentimento
Cada vez mais do meu agrado
Pois só posso dizer a ela
Que no meu coração ele esta guardado

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Você sabia?

HOJE É...

DIA DO OFFICE-BOY: Bom, não tenho muito a dizer sobre isso. Mas parabéns a todos os profissionais dessa área. :D

DIA DOS JOVENS: Tá aí, um motivo pelo qual morrerei. O que eu sinto pela juventude não tem explicação, é um misto de amor, paixão, inspiração, força, coragem, enfim... Me apaixono a cada dia pelos jovens, jovenzinhos, adolescentes, jovens a pouco tempo e jovens de longa data... A vivacidade que habita nestes seres me motiva a viver, e a não desistir dos meus ideais. Todas as fases da minha vida foram super hiper mega legais e inesquecíveis, mas a juventude... Essa sim, está sendo a melhor fase, aquela que deixa o gostinho de quero mais.. Isso não quer dizer que eu não sinta saudade da minha infância, e que as vezes, não tenha vontade de ser criança... Mas é que a menina criança que um dia eu fui, ainda continua em mim.
Enfim, JOVENS de pouca e muita idade, PARABÉNS PELO NOOOOOSSO DIA!

DIA DO BEIJO: Bom, eu não vou comemorar esse dia né, rsrs Não dá maneira como é proposto. Mas, hoje é dia do beijo, e não dia do beijo na boca, né?! (Me sinto mais aliviada, rsrs) O beijo no rosto pode representar carinho ou um simples cumprimento. O beijo na testa, respeito. Existe o beijo de mãe, o beijo de amigo, o beijo de longe. Tá, também existe o beijo na boca, rs --' E tooooooooodos eles são bons, na verdade muito bons, principalmente quando existe sentimento, quando as borboletas fazem festa no estômago, e o coração bate mais forte.. E isso não acontece somente entre namorados e afins, até beijo de mãe, beijo de pai, beijo de melhor amigo, onde você sente-se amado, pode causar todos estes sintomas!
PORÉM, enquanto Papai do Céu ainda está preparando o meu amado-amante (Papai do Céu lindo, não me importo em esperar até os 28 anos, depois já começo a me preocupar tá... Mas não me oponho caso o meu amorzinho queira chegar hoje. Vou adorar.. E se o meu amor já chegou, mande o cupido pra me avisar, ok?), eu me contento com os beijos no rosto, os beijos de longe, os beijos de cumprimento. O importante é beijar né :D

Então, muitos beijos na cara linda e larga de todo mundo que ler aqui, dos que não lerem, e dos que nem imaginam que eu tenho um blog e escrevo essas loucuras... Talvez, ano que vem, eu comemore o dia do beijo, dos jovens, e do office-boy com um namorado (bem provável que não. Vou culpar o destino! #brincadeirinha)

BEIIIIIIIIJÕÕES "JUVENIS" pra todo mundo :***;

Experimente me amar - Martha Medeiros

Desde ontem, estou lendo tudo que apareça na minha frente "assinado" com o nome de Martha Medeiros... Não é que essa mulher deu de falar tudo o que eu penso... rsrs
Aqui vai um texto liiiiiiiiindo *-*


Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir. Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Acordo pela manhã com ótimo humor mas ... permita que eu escove os dentes primeiro. Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza. Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não conte piadas e nem seja preconceituoso, não perca tempo, cultivando este tipo de herança de seus pais. Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude. Eu saio em conta, você não gastará muito comigo. Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa. Respeite meu choro, me deixe sozinha, só volte quando eu chamar e, não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada. ( Então fique comigo quando eu chorar, combinado?). Seja mais forte que eu e menos altruísta! Não se vista tão bem... gosto de camisa para fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço. Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto: boca, cabelos, e um joelho esfolado, você tem que se esfolar as vezes, mesmo na sua idade. Leia, escolha seus próprios livros, releia-os. Odeie a vida doméstica e os agitos noturnos. Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate que isto é coisa de gente triste. Não seja escravo da televisão, nem xiita contra. Nem escravo meu, nem filho meu, nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente muitas vezes.

Me enlouqueça uma vez por mês mas, me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca ... Goste de música! Goste de um esporte não muito banal. Quero ver você nervoso, inquieto, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos. Não me conte seus segredos ... me faça massagem nas costas. Não fume, beba, chore, eleja algumas contravenções. Me rapte! Se nada disso funcionar ... experimente me amar!

Lindo texto, não?! *-*

terça-feira, 12 de abril de 2011

Não é a tua cabeça, é o teu coração!

Porque colocar a cabeça no travesseiro tem sido meu pior martírio. Está tão difícil me encontrar com meu "eu" verdadeiro nestes últimos dias. É mais fácil fingir a luz do dia, sabendo que a única que conhece meu coraçãozinho sou eu, ou talvez não... Deus sabe das coisas que eu sinto... Ele sabe!

É melhor estar assim do que "viver" como antes. Apesar de tantas lutas traçadas e tantas derrotas, Papai do Céu me permite sonhar com aquilo que eu gostaria que fizesse parte da minha realidade. E isso, ninguém pode me impedir! Mesmo com caminhos opostos, sei bem onde quero chegar, e não é no coração de alguém, é no meu próprio coraçãozinho, pois sei que lá vou me encontrar!

Agora, resta-me as lágrimas que devoto ao meu travesseiro, fiel amigo de todas as noites, e ao silêncio que deposito em Deus, pois minhas palavras já não conseguem definir mais nada. Tenho medo do amanhã, tenho medo do hoje, tenho medo de continuar nesse caminho, e mais medo de esquecer. Tenho medo até de estar escrevendo isso aqui.

AMOR? Já não sei se o que sinto tem esse nome, mas ainda não encontrei outra palavra. Talvez, para alguém que leia isto, esse misto de amor e sofrimento pode soar como um calvário.. Mas pra mim isso não é tão ruim, isso é a minha felicidade, minha inspiração de "viver, amar e sonhar" (como diria um anjo aê).

E pela minha felicidade, eu daria a vida. Dar meu coração a quem de fato ele pertence, não é de forma alguma um crime, é apenas a devolução daquilo que nunca me pertenceu. E se alguém julgar tudo o que eu sinto, eu não me importo, pois de tudo o que eu aprendi, a lição mais importante foi amar. E se pra alguns isso é um martírio, pra mim é um motivo a mais para viver e sonhar.

Não devo satisfação a ninguém, mas, vou esclarecer algumas coisinhas aquii. Sou carente de amigos, de carinho, de atenção, gosto que me surpreendam com palavras carinhosas. Quem não gosta?! Porém, em nenhum momento disse namorado, preciso de um e clá blá blá.. Se a vida de uns giram em torno de namorador, ficantes e afins, só quero deixar claro que a minha vida e a minha felicidade eu encontrei em outro lugar. Em Deus, nos meus pais, e nos meus verdadeiros amigos. Enquanto isso, posso dizer que sou feliz, e que daria o meu coração há quem de fato pertence (4 pessoinhas lindas, amadas, e admiradas por mim). E elas sabem quem são, e tenho certeza que vão ler isso aqui!

Desculpem o desabafo, mas as vezes é tão difícil guardar tudo isso dentro de mim, que os sentimentos começam a transbordar pelos olhos... Aí, só me resta escrever pra não ter que dizê-las...

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Por dentro, ninguém é mais sensível do que "eu".

Revirando minha bagunça, encontrei muitas coisas que me fizeram entrar num estado de nostalgia, algumas, me tiravam um sorriso não pensado, uma lembrança amiga, um sonho bom, outras, me tiravam o folêgo, faziam meu coração bater mais forte, e traziam algumas lágrimas. Entre estas coisinhas, encontrei uma folha que usamos em uma dinâmica de grupo, aquela em que as pessoas escrevem o que acham sobre você, sem você saber quem escreveu o quê. Lendo tudo aquilo, percebi que as pessoas me viam de uma forma diferente do que eu sou. Não por culpa delas, mas porque eu estava estava sendo que eu queria ser, e não quem realmente sou.

Segundo estas pessoas, sou a felicidade em pessoa, não tem tempo ruim pra mim, sou a garota do sorriso fácil, miss simpatia, e nunca fico triste... e por aí vai. Será mesmo? Realmente sou assim, até a porta do meu quarto. Até encontrar as luzes apagadas, colocar minha cabeça no travesseiro, e começar minha oração, e este é o único momento que me sinto de verdade. Sem precisar sorrir, podendo chorar (e não interprete lágrimas como algo negativo, afinal, as pessoas choram não por serem fracas, mas por terem sido fortes por muito tempo), e sendo unicamente "eu", meu tão complicado "eu".

Aí eu penso, então tenho dupla personalidade, ou me comporto assim para agradar aos outros? Talvez, mas eu acredito que não. Por mais que me digam que nunca serei completamente feliz enquanto não encontrar a felicidade em mim mesma, eu não sei se a minha felicidade seria suficiente. Não sei ser feliz quando minha família, meu amigos, meus parceiros ou colegas não estão bem. Se algum desconhecido sentar ao meu lado e começar a chorar, meus olhos vão encher de lágrima, e eu certamente as controlarei para que meu choro não soe como falso. Se me ignorarem, ou tentarem me deixar por baixo, por mais que eu queira, não vou conseguir pagar com a mesma moeda. Se eu estiver em prantos, e alguém vier transbordando de alegria, eu vou sorrir, e acredite que por maistriste que eu esteja, ainda sim, a felicidade causada será verdadeira.

Se eu pudesse destacar algumas características que me definem, eu diria que sou insistente, extremamente sincera, perseverante, teimosa, tagarela, carente, e acima de tudo carinhosa. Trato as pessoas da maneira que eu gostaria de ser tratada, mas não espero nada em troca. Gosto que me surpreendam com palavras e atitudes de carinho, isso sim me faz um bem danado! Minha simpatia é mal interpretada, e eu não sei conquistar ninguém, não tenho talento para relacionamentos amorosos.. Nunca acerto na escolha, sempre erro, e são relacionamentos super complicados, (Tudo seria mais fácil, se nosso cérebro arranjasse nossos amores, não o coração) rs. Sou careta, faço o estilo amiga-mãe, e as coisas mundanas não me atraem. Gosto de olhar nos olhos, de fazer cafuné, ou apenas um carinho inocente... Entre tantas outras coisas que com palavras não consigo definir.

Hoje, pensei em tudo que vivi e percebo o quanto cresci! Percebo que aquele mundo de sonhos não faz mais parte de mim, pois agora eu os torno reais ou simplesmente vejo que foi só um sonho, e nada mais. Eu aprendi a lidar com meus problemas, busco sempre minha felicidade, e sim, eu sou muito feliz! Estou vivendo a MELHOR fase da minha vida, e tenho medo que isso acabe. Enfim, eu perdi muita coisa, mas resolvi trocar o luto por luta, estar viva e lutando é meu maior espetáculo.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

A FELICIDADE me basta!

Graças a Deus, hoje, a realidade é outra. Quem já teve paciência pra ler esse blog inteiro, vai entender o que quero dizer (e acredite, descobri alguns que leitores são atuantes aqui! rs). Desde que fiz esse blog, sem motivo algum, vi nele um refúgio, um lugar onde eu escreveria tudo aquilo que queria dizer, mas não tinha coragem, com a esperança de que alguém enxergasse nas minhas palavras a necessidade de ser compreendida. Em todos os textos (sim, estou generalizando), sempre coloquei tudo o que se passava dentro do meu coraçãozinho, transbordavam sentimentos, mas sempre acabavam com o mesmo assunto no final. SEMPRE!

Nestes últimos anos, foram incontáveis as diversas vezes que perdi a fé, a vontade de lutar e de sonhar, e as vezes que deixei de acreditar no amor. As lágrimas e o sofrimento já não faziam mais sentido, mas o meu coraçãozinho insistia em buscar algo que eu não conseguiria sozinha. Eram horas de paz, e dias angustiados em busca das mesmas respostas. Até que um dia, eu desisti, e numa conversa amigável com Papai do Céu, lhe disse que não tinha mais condições de sofrer, não pelo mesmo motivo, e que essa inquietude, estava me deixando cada vez pior. Porém, mesmo com o meu lado humano se deixando levar pelas angústias da vida, eu entreguei tudo nas mão de Deus, e lavei as minhas mãos. Pra mim, esse problema não importava mais, ou melhor, era mais fácil acreditar nisso.

Como sou cega, sempre pedi sinais divinos bem sinalizados, pois eu sempre fui ignorante nesse aspecto, e acreditava que tudo era ironia do destino. Então, Deus agiu em mim, através de um anjo, não pra substituir o que eu perdi, mas pra me ajudar a recuperar o velho, (rs). De início, não entendi bem o por que da ressurreição dos meus problemas, mas aquilo foi uma injeção de ânimo para que eu voltasse a lutar pela verdade. Mas a minha razão, cansada de falar e não ser ouvida, me dizia pra desistir, e realmente, não existiam razões pra insistir neste caso. Contudo, Deus continou agindo, e me deu várias oportunidades, devolveu a minha fé, e a minha esperança "deu as caras" depois de tanto tempo estando morta dentro de mim. Eu jurava que seria a última vez que tentaria, mas dentro de mim carregava a certeza que tentaria quantas vezes fosse necessário. E quantas né?

Mas até que um dia, eu vi a oportunidade onde ninguém mais viu. Criei força, coragem, escondi as lágrimas, e decidi que aquela era a hora. Pedi a proteção de Deus, e coloquei meu plano em ação. Eu tinha muito a falar, mas eu sabia que não seria suficiente, eu precisava ouvir, precisava entender tudo... Ou pelo menos tentar.

Foram horas de conversa, e confesso que na minha vez de ouvir, as palavras não me faziam bem aos olhos e ao coração. Mas eu não cheguei até ali pra desistir, eu sabia que Deus me daria persistência pra chegar até o final. "E tudo o que era pra ser uma eterna tempestade, chega ao fim, e é possível ver o sol brilhar!" E eu custei para acreditar que a tempestadade, felizmente tinha chegado ao fim. Eu conseguia respirar em paz, me sentia tão leve que seria capaz de deitar em uma bexiga sem que ela estourasse, e meu coraçãozinho se aquietou, e pela primeira vez, as lágrimas eram de felicidade.

Minha fé, minha verdade, minha esperança foi recuperada. E lembra daquele melhor amigo da primeira postagem do blog? Então, eu também recuperei!
Nada foi em vão, crescemos, aprendemos e vivemos! Agora a felicidade me basta, sei que a minha vida está completa, e todo vazio foi preenchido!