Páginas

domingo, 21 de agosto de 2011

Devaneios, incertezas, loucuras, dúvidas, medo... Se posso definir a minha rotina, esses são os sentimentos que me cercam no último mês. Colocar a cabeça no travesseiro sem carregar um pensamento agonizante tem sido o meu martírio diário. Porém, meu problema não está no simples fato de pensar, o meu grande problema é tentar entender aquilo que foge da minha zona de compreensão.

Não lembrar daquilo não me faz esquecer, ou melhor, forçar para não lembrar me faz lembrar ainda mais. Clichê, eu sei! Mas depois de tanto procurar respostas para perguntas que nunca cessam, percebi que o meu grande problema está em forçar. Simples, não?! Forcei para que meu coração não batesse mais forte por alguém, quando ele resolveu me contrariar por conta própria (mentira, eu forcei isso), eu também me obriguei a continuar sofrendo pelo que não era meu. Até que eu parei de forçar, não por vontade própria, mas por ter desistido de tudo e todos.
Ah, quem dera que a brincadeira de "forçamento" acabasse por aqui... Depois de uma sequência de erros, resolvi quebrar a face mais uma vez. Restaurei o coração, ensaiei um sorriso, e pela primeira vez idealizei algo que começaria imperfeito, dei independência ao meu coração e soltei as borboletas do meu estômago no exato momento em que coloquei meu plano em ação. Eu estava feliz, eu fiz o outro feliz! Fiz da lembrança de um amigo uma história de amor imperfeita, feita pra mim, feita pra ele.
A incerteza bateu na minha porta quando vi que o meu imperfeito estava perfeito demais. Perfeito nas qualidades e nos defeitos, nos lábios que se encontravam em perfeita simetria, no conto de fadas mais lindo que a minha imaginação, fértil imaginação, levou uma vida para construir. Então resolvi forçar! Amar alguém que superava as minhas expectativas não era de longe algo negativo, e cá entre nós, eu já sentia algo por ele, algo indefinido que não cabia na palavra "amigos". Era mais... Era vontade de ir além.
Forcei, forcei, forcei... Não sei dizer ao certo até quando, mas lembro exatamente de todas as sensações; consequência daquilo que eu forçara. Acordar todos os dias exatamente as 3h da matina pra ler a mensagem de todas as madrugadas, contar as horas para um encontro não planejado, escutar a mesma música milhares de vezes, ficar a tarde inteira esperando uma janelinha subir entre tantos contatos disponíveis, esquecer um passado que eu não tinha a intenção de matar interiormente, entre tantas outras atitudes apaixonadas, começaram a fazer parte do meu mundo. E pela primeira vez eu não precisei forçar. Eu perdi o controle das minhas ações e o meu coração já era um ser independente que batia por outro alguém.
Até que a magia acabou. As mensagens não chegavam, a música torturava, e a ansiedade partia da vontade de querer evitar a qualquer custo aquele doloroso encontro. Inevitável!
Nada era forçado. Ele continuava perfeito pra mim, mas eu me tornei imperfeita pra ele.
Era tão bom fazer de conta que tudo aquilo era verdade.

terça-feira, 17 de maio de 2011




Cartas, textos, depoimentos e músicas de amor são sempre egoístas quando escrevemos inspirados pelo nosso amado (a). Se eu fosse ecsrever uma carta de amor hoje, não seria diferente. Com certeza eu começaria com aqueles clichês de músicas românticas: Eu preciso de você... Eu não sei viver sem ti... Eu não posso... Eu não quero... Eu não consigo... Pois com você sou uma pessoa melhor e mais feliz. Ou seja, eu sou o centro de tudo, e o outro vive apenas em função das minhas necessidades. É isso, ou eu estou maluca? Eu não posso dizer que "te amo" se não divido contigo a 'nossa' vida, se eu não choro com você, se não te acompanho, e se nem me esforço para isso. No máximo posso 'afirmar' que eu poderia te amar (poderia, mas não amo, entendeu?). Amor não vive de cartas, palavras, olhares... Amor precisa de ação e movimento, e isto não quer dizer que eu amo esperando algo em troca, isto é nada mais que amar DE VERDADE.

Podemos amar sem dizer eu te amo apenas com as nossas atitudes, porém, apenas dizer que amo não é suficiente para amar de verdade. AMAR também é ATITUDE.
E quanto mais eu tento entender o amor, mais eu desisto dos meus sonhos (ou das pessoas que poderiam me ajudar a realizá-los). Faz tanto tempo que não sonho, que acredito que eles deixaram de existir em mim. Ou não. Os sonhos de Deus jamais vão morrer! E os sonhos d'Ele são meus também, pois Ele tem o melhor pra mim, pra você, e pra nós... Mesmo que você não entenda, não acredite, ou não ouça os sinais que Papai do Céu lhe manda dizendo que o amor verdadeiro está ao seu lado, Deus continua agindo na sua vida (E isso serve pra mim). Meus sonhos e meus amores talvez estejam dormindo um pouco para não me sufocarem. Sim, eles me sufocam. Às vezes sugam toda minha energia e acabam comigo... As vezes entro em desespero, e fico perdida dentro de mim mesma. De vez em quanto eles me acalmam, me deixam nas nuvens, me sinto capaz de tudo, até que sofro uma grande queda. Uma queda que me afeta, me machuca, abre feridas, e me faz querer desistir. Tanto tempo passou e eu me pergunto: Será que vale a pena insistir nesse sonho? Nessa utopia?

Meus sonhos não morreram, eles estão adormecidos para acordarem na hora certa... Na hora de Deus! Enquanto isso eu espero... Pois esperar é confiar em Deus, é ser capaz de sonhar acordado, é ter a certeza de que serei feliz com você, é saber que sou ansiosa e paciente ao mesmo tempo, é poder te admirar sem te conhecer, é poder sonhar com seu sorriso e seu abraço sem ao menos te sentir, e mesmo assim estar em paz. Te esperar é contar os dias sem ter prazo final, é imaginar cada dia um pouquinho sobre você, é ver Deus agir, e por isso, ter a certeza de que te esperar vai valer a pena. E essa é a maior prova de um amor de verdade! Não te espero porque confio em mim, não te espero porque sou forte, muito menos porque sou paciente. Não te espero por um dia, nem por um ano, te espero por uma vida inteira. Te espero em Deus.
Calma sonho meu, eu te espero até a morte!

domingo, 1 de maio de 2011

Primeiramente, um SALVE a todos os trabalhadores pelo seu dia. Que hoje seja um dia de luta, e perseverança e fé por nossos objetivos, e não mais um feriadinho brasileiro...

-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.

Resolvi escrever aqui hoje sem nenhum motivo, mas é que tentar expressar através das palavras me faz um bem danado. Então, se isto parecer confuso, chato, idiota, ou algo do tipo, perdoem minha falta de criatividade e clareza, mas realmente não me sinto nenhum pouco confortável para ser clara a tal ponto que todos me entendam.

Enquanto eu pensava se iria ou não postar algo no blog, ouvia duas músicas que me fizeram decidir pela primeira opção, ambas do Capital Inicial: Tudo Que Vai e Falar de Amor Não É Amar. E "magicamente", as duas falam um pouco de mim, e muito pra mim (pra variar).
Só sei que fiquei refletindo sobre o que julgo ser o "meu verdadeiro amor", se é que é verdadeiro... Há quem diga que o amor é capaz de destruir todas as barreiras, vencer os maiores desafios, e acabar com todo efeito causado pelo mal. Mas, o que será de um mal causado pelo próprio amor? Sendo o amor eterno, serei eternamente castigada por este sofrer? E antes que esta duvida apareça na cabeça de vocês, sim, eu tenho certeza que é amor, e não me pergunte como (esse é um segredo que não conto a ninguém, pelo menos agora).

Eu sei que amo, e não importa quem. Eu amo e ponto! Mas as minhas palavras na maioria das vezes não conseguem traduzir o que eu sinto... Faltam palavras... sobram sentimentos! Exatamente nessa ordem, e assim como diz a música: Falar de amor não é amar, não é querer ninguém, falar de amor não é amar alguém. ♪
As vezes penso que minha realidade é um dia passado, mas a verdade que me recuso a acreditar me prova o contrário. E o pior de tudo, é saber que a realidade que vivo é consequência do "verão que eu inventei", das mentiras que eu fiz a minha verdade e acreditei (muito confuso, eu sei).
O mais patético de tudo isso é que por mais que eu conheça o tamanho de todas as minhas ilusões, eu não consigo me convencer e aceitar a suposta verdade que me apresentam. Deus sabe o quanto peço isso, mas, vai entender os planos do Papai do Céu pra mim... Sou prisioneira das palavras de alguém, prisioneira das palavras sem ações, prisioneira de alguém que não sabe o que quer de mim, não sabe o que quer fazer, não sabe o que quer, não sabe o que...
O certo é que eu dancei sem querer dançar, que eu o amo sem querer amar! Eu tentei ficar na minha, tentei ficar com ele, tentei ser o futuro, tentei ser apenas amiga, fiz o que era mais seguro, e corri os mesmos perigos.
Hoje, me sinto desesperada de tanto esperar.. É como ficar esperando cartas que não vão chegar, e isso é tão ruim! Eu sempre soube, mas ele não sabia (ou sabia?!)
Eu apenas reconheço que o silêncio de alguém me agride, que eu penso em escrever cartas que não dê alternativa pra quem lê.. Como gostaria de chamá-lo de carta fora do baralho, embaralha-lo, descarta-lo de vez do meu coração (não da minha vida. Isso, nunca).
E quando eu penso que tudo isso foi embora, as esperanças renascem de um simples "falar de amor". Mas se os sonhos tem significados, o da noite passada teve um significado especial: Você conquistará uma vitória impossível, e ninguém o atrapalhará. Um amor impossível... Muita gente pra atrapalhar... (?) Será um sinal? Será de Divino? Tomara que sim, pois viver com tudo isso para sempre, é pedir demais para o meu pobre coração.

Acima de tudo, no meio de tudo... você ♪

Eu sei que isso tudo tá muito melancólico, mas como diz a música: "Falar de amor não é amar."
Deixo a dúvida no ar, pra ninguém saber o que aconteceu. ♥

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Medo...

Tenho medo de me atirar em seus braços e não sentir que somos um.
Tenho medo de seguir seu caminho, e quando estiver na frente de seus olhos você dizer que me esqueceu.
tenho medo de segurar sua mão e não alcançar o maravilhoso ser que se esconde atrás dessa capa.
Tenho medo de tocar em seus lábios, e ouvir de sua boca uma palavra de despedida.
Tenho medo de olhar para trás te procurando e não encontrar seus passos vindo pra mim.
Tenho medo de acreditar no fascínio do seu amor e me perder no labirinto que se esconde, sem nunca ter esperança de lhe encontrar.
Tenho medo de me entregar as ilusões, procurar seu rumo incerto, esquecer meus preconceitos e viver o nosso espaço livremente, esquecendo a realidade dos meus sentidos.
Tenho medo de viver essa poesia que nos invade o coração, e ao final de nossa história, restar apenas o capítulo final.
Não sei conter esse medo, ou não quero, porque tenho medo de tentar e não chegar em cima sem sofrer.
Tenho medo de tudo que me leva a você.
Queria enfrentar o mundo e lhe procurar, mas eu paro e penso se irei te encontrar.
Tenho medo de seguir esse caminho, e mais tarde descobrir a certeza de que não terei você.
Tenho medo de apenas viver o momento, e depois saber que você não existe, que eu apena so criei em meu pensamento.
Tenho medo até mesmo de pensar em ter você...

Como diria a música: "Se você soubesse o quanto é intenso no meu peito
O amor que tenho por você e o que guardo aqui dentro
Se você voltasse sempre, se houvesse intimidade
Certamente deixaria de implorar por outro amor
Na distância é tão difícil ser amigo de alguém
Olhe para mim,preciso lhe dizer
Que eu espero por você
E não me canso de esperar!"

Sei que isso tudo está num ar de paixão, amor, romantismo, ou sei lá que nome se dá à isso. Pode significar muito pra muita gente, mas pra mim, resta apenas as dúvidas e os pontos de interrogações, e ao outro, bom, acho que ao outro isso nunca importou de verdade... Infelizmente!
As vezes, as histórias tomam outros rumos, desconhecidos, que não nos permitem viver da maneira que tanto planejamos. Me disseram pra dar tempo ao tempo (né Thé, rs), mas como diz outra música: Já dei TEMPO AO TEMPO, mas o tempo não me ajuda... E eu não me conheço tão bem, pra saber se serei capaz de esperar até que essa história tenha um final feliz... Tenho que dar um rumo na minha vida, seguir meu cérebro, e dar outros caminhos ao meu coração... Com ou sem alguém.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Me surpreendem...

Gostaria de compartilhar com vocês, a poesia que ganhei de um rapaz muito querido! Muito obrigada Júnior, de coração, ficou muito linda *-*

Como pode existir alguém
Que pessoalmente nem conheço
Fazer-me sentir tão bem
De uma forma que desconheço

Como pode existir algo
Tão belo quanto seu sorriso
Faz-me viajar cada vez mais nele
Faz-me ver que é tudo o que preciso

Como pode existir tanta magia
Em uma moça tão legal
Coberta de fantasia
Já considero muito especial

Como pode existir inspiração
Para criar nova poesia
Que é minha paixão
Que é minha alegria

Como pode existir diversão
Em conversa virtual
Que virou minha obsessão
Que agora é essencial

Como pode existir
Só Deus poderá explicar
Mas eu não quero explicação
Pois dela estou a gostar

E quero muito esse sentimento
Cada vez mais do meu agrado
Pois só posso dizer a ela
Que no meu coração ele esta guardado

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Você sabia?

HOJE É...

DIA DO OFFICE-BOY: Bom, não tenho muito a dizer sobre isso. Mas parabéns a todos os profissionais dessa área. :D

DIA DOS JOVENS: Tá aí, um motivo pelo qual morrerei. O que eu sinto pela juventude não tem explicação, é um misto de amor, paixão, inspiração, força, coragem, enfim... Me apaixono a cada dia pelos jovens, jovenzinhos, adolescentes, jovens a pouco tempo e jovens de longa data... A vivacidade que habita nestes seres me motiva a viver, e a não desistir dos meus ideais. Todas as fases da minha vida foram super hiper mega legais e inesquecíveis, mas a juventude... Essa sim, está sendo a melhor fase, aquela que deixa o gostinho de quero mais.. Isso não quer dizer que eu não sinta saudade da minha infância, e que as vezes, não tenha vontade de ser criança... Mas é que a menina criança que um dia eu fui, ainda continua em mim.
Enfim, JOVENS de pouca e muita idade, PARABÉNS PELO NOOOOOSSO DIA!

DIA DO BEIJO: Bom, eu não vou comemorar esse dia né, rsrs Não dá maneira como é proposto. Mas, hoje é dia do beijo, e não dia do beijo na boca, né?! (Me sinto mais aliviada, rsrs) O beijo no rosto pode representar carinho ou um simples cumprimento. O beijo na testa, respeito. Existe o beijo de mãe, o beijo de amigo, o beijo de longe. Tá, também existe o beijo na boca, rs --' E tooooooooodos eles são bons, na verdade muito bons, principalmente quando existe sentimento, quando as borboletas fazem festa no estômago, e o coração bate mais forte.. E isso não acontece somente entre namorados e afins, até beijo de mãe, beijo de pai, beijo de melhor amigo, onde você sente-se amado, pode causar todos estes sintomas!
PORÉM, enquanto Papai do Céu ainda está preparando o meu amado-amante (Papai do Céu lindo, não me importo em esperar até os 28 anos, depois já começo a me preocupar tá... Mas não me oponho caso o meu amorzinho queira chegar hoje. Vou adorar.. E se o meu amor já chegou, mande o cupido pra me avisar, ok?), eu me contento com os beijos no rosto, os beijos de longe, os beijos de cumprimento. O importante é beijar né :D

Então, muitos beijos na cara linda e larga de todo mundo que ler aqui, dos que não lerem, e dos que nem imaginam que eu tenho um blog e escrevo essas loucuras... Talvez, ano que vem, eu comemore o dia do beijo, dos jovens, e do office-boy com um namorado (bem provável que não. Vou culpar o destino! #brincadeirinha)

BEIIIIIIIIJÕÕES "JUVENIS" pra todo mundo :***;

Experimente me amar - Martha Medeiros

Desde ontem, estou lendo tudo que apareça na minha frente "assinado" com o nome de Martha Medeiros... Não é que essa mulher deu de falar tudo o que eu penso... rsrs
Aqui vai um texto liiiiiiiiindo *-*


Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir. Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Acordo pela manhã com ótimo humor mas ... permita que eu escove os dentes primeiro. Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza. Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não conte piadas e nem seja preconceituoso, não perca tempo, cultivando este tipo de herança de seus pais. Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude. Eu saio em conta, você não gastará muito comigo. Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa. Respeite meu choro, me deixe sozinha, só volte quando eu chamar e, não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada. ( Então fique comigo quando eu chorar, combinado?). Seja mais forte que eu e menos altruísta! Não se vista tão bem... gosto de camisa para fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço. Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto: boca, cabelos, e um joelho esfolado, você tem que se esfolar as vezes, mesmo na sua idade. Leia, escolha seus próprios livros, releia-os. Odeie a vida doméstica e os agitos noturnos. Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate que isto é coisa de gente triste. Não seja escravo da televisão, nem xiita contra. Nem escravo meu, nem filho meu, nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente muitas vezes.

Me enlouqueça uma vez por mês mas, me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca ... Goste de música! Goste de um esporte não muito banal. Quero ver você nervoso, inquieto, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos. Não me conte seus segredos ... me faça massagem nas costas. Não fume, beba, chore, eleja algumas contravenções. Me rapte! Se nada disso funcionar ... experimente me amar!

Lindo texto, não?! *-*