Páginas

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Por dentro, ninguém é mais sensível do que "eu".

Revirando minha bagunça, encontrei muitas coisas que me fizeram entrar num estado de nostalgia, algumas, me tiravam um sorriso não pensado, uma lembrança amiga, um sonho bom, outras, me tiravam o folêgo, faziam meu coração bater mais forte, e traziam algumas lágrimas. Entre estas coisinhas, encontrei uma folha que usamos em uma dinâmica de grupo, aquela em que as pessoas escrevem o que acham sobre você, sem você saber quem escreveu o quê. Lendo tudo aquilo, percebi que as pessoas me viam de uma forma diferente do que eu sou. Não por culpa delas, mas porque eu estava estava sendo que eu queria ser, e não quem realmente sou.

Segundo estas pessoas, sou a felicidade em pessoa, não tem tempo ruim pra mim, sou a garota do sorriso fácil, miss simpatia, e nunca fico triste... e por aí vai. Será mesmo? Realmente sou assim, até a porta do meu quarto. Até encontrar as luzes apagadas, colocar minha cabeça no travesseiro, e começar minha oração, e este é o único momento que me sinto de verdade. Sem precisar sorrir, podendo chorar (e não interprete lágrimas como algo negativo, afinal, as pessoas choram não por serem fracas, mas por terem sido fortes por muito tempo), e sendo unicamente "eu", meu tão complicado "eu".

Aí eu penso, então tenho dupla personalidade, ou me comporto assim para agradar aos outros? Talvez, mas eu acredito que não. Por mais que me digam que nunca serei completamente feliz enquanto não encontrar a felicidade em mim mesma, eu não sei se a minha felicidade seria suficiente. Não sei ser feliz quando minha família, meu amigos, meus parceiros ou colegas não estão bem. Se algum desconhecido sentar ao meu lado e começar a chorar, meus olhos vão encher de lágrima, e eu certamente as controlarei para que meu choro não soe como falso. Se me ignorarem, ou tentarem me deixar por baixo, por mais que eu queira, não vou conseguir pagar com a mesma moeda. Se eu estiver em prantos, e alguém vier transbordando de alegria, eu vou sorrir, e acredite que por maistriste que eu esteja, ainda sim, a felicidade causada será verdadeira.

Se eu pudesse destacar algumas características que me definem, eu diria que sou insistente, extremamente sincera, perseverante, teimosa, tagarela, carente, e acima de tudo carinhosa. Trato as pessoas da maneira que eu gostaria de ser tratada, mas não espero nada em troca. Gosto que me surpreendam com palavras e atitudes de carinho, isso sim me faz um bem danado! Minha simpatia é mal interpretada, e eu não sei conquistar ninguém, não tenho talento para relacionamentos amorosos.. Nunca acerto na escolha, sempre erro, e são relacionamentos super complicados, (Tudo seria mais fácil, se nosso cérebro arranjasse nossos amores, não o coração) rs. Sou careta, faço o estilo amiga-mãe, e as coisas mundanas não me atraem. Gosto de olhar nos olhos, de fazer cafuné, ou apenas um carinho inocente... Entre tantas outras coisas que com palavras não consigo definir.

Hoje, pensei em tudo que vivi e percebo o quanto cresci! Percebo que aquele mundo de sonhos não faz mais parte de mim, pois agora eu os torno reais ou simplesmente vejo que foi só um sonho, e nada mais. Eu aprendi a lidar com meus problemas, busco sempre minha felicidade, e sim, eu sou muito feliz! Estou vivendo a MELHOR fase da minha vida, e tenho medo que isso acabe. Enfim, eu perdi muita coisa, mas resolvi trocar o luto por luta, estar viva e lutando é meu maior espetáculo.

4 comentários:

  1. Pri linda, perfeito aqui ... adorei seu ultimo post *-* (:
    beeeijos :*

    ResponderExcluir
  2. Realmente você me emocionou... senti-me nestas suas palavras... "Realmente sou assim, até a porta do meu quarto. Até encontrar as luzes apagadas, colocar minha cabeça no travesseiro, e começar minha oração, e este é o único momento que me sinto de verdade". Por que as coisas tem que ser exigentes por demais? Disse-me um amigo que "não é o mundo que nos cobra e sim nossa consciência...", pode ser, mas é no mundo que eu existo e de minha existência nele vem minha ação, entretanto, sou quem sou com minhas angustias e alegrias, mas é tão complicado ser quem sou fora do meu quarto.

    Valeu pela partilha!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Isa :D O seu tumblr não fica atrás né :D
    beijos linda ♥

    ResponderExcluir
  4. Viu, eu também consigo te emocionar, rsrsrs
    Brincadeirinhas a parte...
    Não sei se as coisas são exigentes de mais, ou se nós exigimos muito.. Realmente, é mais fácil ser quem sou dentro do meu quarto.

    abraço,

    ResponderExcluir

Comenta aê?